Como evitar a azia durante eventos

Eventos significam comida, família, amigos e muita diversão. Todos nós aguardamos ansiosamente os dias nos quais queremos desfrutar os momentos ao máximo. Tudo que impede ou atrapalha que isso aconteça pode ser uma fonte de frustração.

Por causa dos alimentos e de muitos outros fatores, os eventos também são um momento no qual os incidentes de azia aumentam. Mas há maneiras de evitar isso. Vamos entender tudo o que pode ser feito e evitado para aproveitarmos ao máximo os eventos dos quais participamos.

Continue a ler para descobrir o que pode causar acidez e azia e como você pode evitá-las e eliminar a azia do cenário.

Alimentos que podem causar azia

Todos amamos comidas típicas.  Mas esses alimentos não trazem apenas boas lembranças, mas também acidez e azia.

Temperos em um mercado

Chocolate

Estudos mostraram que o chocolate aumenta o refluxo do conteúdo estomacal e relaxa o músculo que separa o esôfago do estômago5. O chocolate também contém uma elevada quantidade de gordura, o que causa refluxo ácido. 

Pimentas e temperos

Comumente associados à azia1,3, alimentos temperados induzem a acidez porque irritam as paredes do esôfago e do estômago8,9. De fato, um estudo demonstrou que até mesmo grandes quantidades de sal irritam a parede do esôfago10.

Alimentos gordurosos e fritos

A gordura não somente retarda a digestão, mas também relaxa o músculo que separa o esôfago do estômago1, o que permite que o ácido estomacal flua de volta para o esôfago e cause azia2. Essa gordura não está apenas nos alimentos preparados com gordura, mas também naqueles com elevado teor de gordura, com colesterol elevado, como carne vermelha e leite, e também alimentos ricos em óleo, como as nozes5. Além disso, os sintomas de azia pioram quando os alimentos permanecem por mais tempo no estômago1_2. Da mesma maneira, sabe-se que alimentos fritos induzem o ácido estomacal3_4.

Como minimizar a azia durante eventos

Há maneiras de comer sua comida preferida e também controlar a azia. Eis algumas dicas fáceis para você

Conheça os causadores da azia e seja seletivo.

Preste atenção aos alimentos que causam azia em você para saber o que deve evitar. Caso você descubra que um tipo específico de alimento, bebida alcoólica, tabaco ou café causa seus sintomas, há pouco risco em reduzi-los ou eliminá-los da sua rotina diária. Tente carnes grelhadas não muito temperadas ou salgadas e também refeições vegetarianas com pouca gordura⁵. De maneira similar, peixe, arroz, massas e pão em geral não causam refluxo ácido. Sempre procure alternativas com pouca gordura para os seu doces favoritos.

Cozinhe você mesmo.

Preparar seus próprios alimentos para consumir em eventos é a melhor maneira de evitar a azia. Basta modificar a receita para reduzir o teor de óleo, gordura, açúcar e sal. Além disso, tente assar e grelhar em vez de fritar. 

Coma com moderação e faça refeições menores.

Um estômago cheio retarda a digestão e aumenta o risco de refluxo ácido1. Faça várias refeições menores em vez de poucas refeições grandes5.

Coma devagar.

Comer rápido aumenta o risco de azia5,12, enquanto comer devagar dá ao seu cérebro tempo para receber o sinal de que seu estômago está cheio. Assim, coma devagar e aprecie sua refeição.

Não coma antes de ir dormir.

Deitar com o estômago cheio induz o refluxo ácido1,6,12. Assim, evite comer por pelo menos 2 horas antes de deitar. Sempre evite se deitar e permanecer sentado(a) imediatamente após as refeições. Tente caminhar ou se divertir com seus amigos.

Como eventos podem causar azia

Alimentos não são o único fator que causa azia. Há várias outras razões para isso, muitas das quais são intensificadas nos eventos.

Álcool e outras bebidas

O álcool, assim como bebidas gasosas e cafeinadas, pode aumentar o risco de refluxo ácido 1,5,13-15. Assim, quanto mais álcool você consumir, maior o risco de acidez e azia. Vá devagar. Beba uma bebida de cada vez e sempre controle o seu ritmo. Ou simplesmente, opte por chás sem cafeína adoçados e sucos de fruta não ácidos para evitar o problema.

Fumo

Fumar pode causar azia. Por isso, evite fumar para manter a azia longe 5,12.

Falta de repouso

Todas as longas comemorações e festas tarde da noite podem exigir muito do organismo. Certifique-se de sempre descansar bastante, já que a falta de sono pode causar o refluxo ácido.12

Ansiedade de preparação

Frequentemente associado à azia, o estresse pode induzir o refluxo ácido1,3,12,16. Vá com calma, divirta-se e não deixe a ansiedade acabar com o prazer.

Eventos são ocasiões para diversão e comemoração. Você pode comer sua comida preferida e aproveitar ao máximo os momentos com parentes e amigos. Além disso, esteja preparado e mantenha um ENO à mão. Não deixe a acidez atrapalhar a diversão.

6 dicas para um alívio rápido

Ícone de um copo de vinho
Reduzir o
consumo de álcool

 

Ícone de jeans
Usar
roupas folgadas

 

Ícone de um homem sentado com as costas retas
Manter a parte do corpo acima da cintura elevada

 

Ícone de um cigarro aceso
Evitar a
fumaça de cigarro

 

Ícone de pimenta e fumaça
Evitar alimentos
que induzam o refluxo

 

Ícone de pastilhas
Considerar medicamentos
adequados, como o ENO

 

    1. Meek, W.A. (2015) The pharmacist’s approach to heartburn. In WGO handbook on heartburn: A global perspective. Milwaukee, WI: The World Gastroenterology Foundation, 15-16.
    2. Armstrong, D.A. (2015). Heartburn – underlying mechanisms. In WGO handbook on heartburn: A global perspective. Milwaukee, WI: The World Gastroenterology Foundation, 15-16.
    3. Moraes-Filho, J.P., Chinzon, D., Eisig, J.N., Hashimoto, C.L., & Zaterka, S. (2005) Prevalence of heartburn and gastroesophageal reflux disease in the urban Brazilian population. Arquivos de Gastroenterologia, 42(2), 122-127.
    4. Bhatia, S.J., Reddy, D.N., Ghoshal, U.C., Jayanthi, V., Abraham, P., Choudhuri, G., Broor, S.L., Ahuja, V., Augustine, P., Balakrishnan, V., Bhasin, D.K., Bhat, N., Chacko, A., Dadhich, S., Dhali, G.K., Dhawan, P.S., Dwivedi, M., Goenka, M.K., Koshy, A., Kumar, A., Misra, S.P., Mukewar, S., Raju, E.P., Shenoy, K.T., Singh, S.P., Sood, A. & Srinivasan, R. (2011) Epidemiology and symptom profile of gastroesophageal reflux in the Indian population: report of the Indian Society of Gastroenterology Task Force. Indian Journal of Gastroenterology, 30(3), 118-127.
    5. Kalkan, I.S & Dagli, U. (2015) Role of dietary factors in gastroesophageal reflux disease.  In WGO handbook on heartburn: A global perspective. Milwaukee, WI: The World Gastroenterology Foundation, 15-16.
    6. Howden, C.W. (2015). Treatment of GERD: overview for patients. In WGO handbook on heartburn: A global perspective. Milwaukee, WI: The World Gastroenterology Foundation, 15-16
    7. Martos-Viuda, M., Ruiz-Navajas Y., Fernandez-Lopez, J. & Perez-Alvarez, J.A. (2011) Spices as functional foods. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 51(1), 13-28.
    8. Rodriguez, S., Miner, P., Robinson, M., Greenwood, B., Maton, P.N., & Pappa, K. (1998) Meal type affects heartburn severity. Digestive Diseases and Sciences, 43(3), 485-490.
    9. Yeoh, K.G., Ho, K.Y., Guan, R., & Kang, J.Y. (1995) How does chili cause upper gastrointestinal symptoms? A correlation study with esophageal mucosal sensitivity and esophageal motility. Journal of Clinical Gastroenterology, 21(2), 87-90.
    10. Lloyd, D.A., & Borda, I.T. (1981) Food-induced heartburn: effect of osmolality. Gastroenterology, 80(4), 740-741.
    11. Mansour-Ghanaei, F., Joukar, F., Atshani, S.M.,  Chagharvand, S., & Souti, F. (2013) The epidemiology of gastroesophageal reflux disease: a survey on the prevalence and the associated factors in a random sample of the general population in the Northern part of Iran. International Journal of Molecular Epidemiology and Genetics, 4(3), 175-182.
    12. Yamamichi, N., Mochizuki, S., Asada-Hirayama, I., Mikami-Matsuda, R., Shimamoto, T., Konno-Shimizu, M., Takahashi, Y., Takeuchi, C., Niimi, K., Ono, S., Kodashima, S., Minatsuki, C., Fujishiro, M., Mitshushima, T,. & Koike, K. (2012) Lifestyle factors affecting gastroesophageal reflux disease symptoms: a cross-sectional study of healthy 19864 adults using FSSG scores. BioMed Central Medicine, 10, 45.
    13. Wendl, B., Pfeiffer, A., Pehl, C., Schmidt, T., & Kaess, H. (1994) Effect of decaffeination of coffee or tea on gastroesophageal reflux. Alimentary Pharmacology & Therapeutics, 8(3), 283-287.
    14. Lim, S.X.B. & Brownlee, I.A. (2018) Assessment of the acute effects of carbonated beverage consumption on symptoms and objective markers of gastric reflux. Gastrointestinal Disorders, 1, 30-38.
    15. Hamoui, N., Lord, R.V., Hagen, J.A., Theisen, J., DeMeester, T.R. & Crookes, P.F. (2006) Response of the lower esophageal sphincter to gastric distention by carbonated beverages. Journal of Gastrointestinal Surgery, 10(6), 870-877.
    16. Bhatia V. & Tandon, R.K. (2005) Stress and the gastrointestinal tract. Journal of Gastroenterology and Hepatology, 20(3), 332-339.
    17. Johnson, S.M. and Suralik, J. (2009). A comparison of the effect of regular Eno® and placebo on intragastric pH. Practical Gastroenterology, 33(2), 28-32.
    18.  *Lab studies (data on file) comparing ENO Fruit Salt to market leaders in liquid/tablet antacid category for ascertaining time to acid neutralisation.